Nos três Evangelhos sinóticos (Mateus 9:20-22Marcos 5:25-34 e Lucas 8:43-48) a cura da mulher do fluxo de sangue é inserida no contexto da ressureição da filha de Jairo. Diferente da ressurreição da menina, em que houve uma súplica de seu pai, a cura da mulher com hemorragia aconteceu sem uma palavra ou pedido, sendo necessário apenas um toque na orla das vestes de Jesus.

Estes dois milagres estão conectados, não apenas por terem acontecido de forma paralela, mas também por ambos apresentarem o número doze, muitas vezes usado na Bíblia para indicar "governo perfeito". A filha de Jairo tinha doze anos (Marcos 5:42), e a mulher do fluxo de sangue estava doente havia doze anos (Marcos 5:25).

O nome da mulher do fluxo de sangue

Os 3 evangelhos que narram a cura da mulher que tinha um fluxo de sangue não apresentam detalhes sobre seu nome ou idade. Ao contrário, encontra-se apenas a menção "E certa mulher que, havia doze anos, tinha um fluxo de sangue".

Embora não seja possível conhecer a origem, o nome ou a idade daquela mulher, isso não diminui a importância do episódio nem o ensino prático apresentado na narrativa bíblica.

O que dizia a lei nos tempos de Jesus?

Segundo a tradição Judaica, a pessoa acometida com fluxo de sangue ou hemorragia era considerada impura. Não tinha permissão de se aproximar das outras pessoas, tocar nelas e nem ser tocada. Até mesmo objetos de uso diário perdiam o valor quando eram usados por uma pessoa com essa doença.

Em Levítico 15 o Senhor fala a Moisés e a Arão sobre a impureza do homem e da mulher. A pessoa impura deveria ser excluída do convívio social até que se purificasse do seu fluxo. Se o fluxo fosse contínuo a pessoa permaneceria no estado de impureza permanente.

A situação da mulher

Enquanto Jesus acompanhava Jairo até à sua casa, uma multidão o apertava. Entre eles estava uma mulher que há doze anos padecia de uma hemorragia. A sua enfermidade tinha a mesma idade da criança que naquele momento estava enferma. Ela já havia procurado a cura com muitos médicos, mas isto de nada adiantou, gastou tudo o que tinha e estava cada vez pior.

A situação da mulher era lamentável. Seu estado de saúde era crônico, debilitante, desencorajador e empobrecedor. Para deixar a situação ainda mais difícil, de acordo com a Lei, ela se encontrava cerimonialmente impura, o que limitava grandemente sua vida religiosa e social.

A cura da mulher do fluxo de sangue

Ela poderia ter usado sua condição como desculpa e se convencer de que era mais fácil ficar longe de Jesus. No entanto, ela não deixou que nada lhe impedisse, pois ao ouvir falar de Jesus, cuja fama se espalhava por todo lugar, pensou consigo mesma: Se tão somente eu tocar nas suas vestes, sararei (Marcos 5:28).

Com profunda fé e esperança, ela veio por detrás de Jesus, em meio à multidão, e tocou na sua vestimenta. Logo após ela tocar nas vestes de Jesus a hemorragia cessou e ela sentiu estar curada daquele mal. De repente sua alegria se transforma em medo, pois Jesus percebendo que virtude tinha saído de si mesmo, voltou-se para a multidão e perguntou: Quem tocou nas minhas vestes? (Marcos 5:30).

Provavelmente a mulher do fluxo de sangue pensou que sua ousadia ficaria no anonimato. Por causa da sua condição, naturalmente ela não desejaria se expor publicamente.

Os discípulos obviamente responderam: como perguntas "Quem me tocou?" se toda a multidão o aperta por todos os lados? Havia muitos outros que estavam próximos de Jesus e o apertava, mas que não experimentaram milagre algum, pois não tinham fé. Jesus ignorou o comentário dos discípulos e começou a procurar, no meio da multidão, quem havia lhe tocado de forma diferente. Sem dúvida, Jesus ficou feliz porque encontrou fé no meio do povo da Galileia.

A confissão pública da mulher

Quando ouviu a pergunta de Jesus e percebeu que Ele lhe procurava na multidão, ela entendeu que não conseguiria se esconder. Consciente que havia deixado Jesus cerimonialmente impuro (Levítico 15:19) a mulher se aproximou dEle e lhe disse toda a verdade.

Ela não sabia exatamente qual seria a reação de Jesus. Para sua surpresa, as palavras gentis de Jesus acalmaram sua angústia e sofrimento, quando Ele disse: "Filha, a tua fé te salvou; vai em paz, e sê curada deste teu mal" (Marcos 5:34).

Com essas palavras, Jesus deixou claro que foi a fé da mulher nEle, e não alguma mágica proveniente do toque em suas vestes, que a curou. Agora a mulher do fluxo de sangue estava com sua vida social e religiosa restaurada e poderia finalmente ir em paz para sua casa.

Fatos sobre o episódio

  • Os dois encontraram-se aos pés de Jesus.
  • Jairo era um judeu importante, enquanto a mulher era uma anônima, sem prestígio e sem recursos financeiros.
  • Jairo foi suplicar por sua filha, e a mulher foi procurar ajuda para si mesma.
  • A menina havia desfrutado de boa saúde durante doze anos. A mulher havia sofrido durante doze anos e, agora, as duas estavam bem.
  • A necessidade de Jairo era de conhecimento geral; a necessidade da mulher era secreta - somente Jesus sabia.
  • Tanto Jairo quanto a mulher creram em Cristo, e ele supriu suas necessidades.

O que se pode aprender com a história da mulher do fluxo de sangue?

Essa história bíblica trás diversas lições práticas para a vida cristã. A primeira lição é que a Fé precisa de uma ação. O milagre somente acontece se houver uma ação por parte de quem necessita. Outras pessoas tiveram a mesma oportunidade daquela mulher, mas somente ela teve ação para ir ao encontro de Jesus.

A segunda lição é que Jesus é o alívio para os cansados e oprimidos (Mateus 11:28). Nesse versículo Jesus expressa um precioso convite para aqueles que ainda não creem nEle. É um convite relevante, pois trás uma promessa que ainda é válida para os dias atuais: "E eu vos aliviarei".

A terceira lição ensina que somente com a Fé é possível vencer o medo, o fracasso e tudo que impede o homem de chegar até Jesus. Ele está sempre disposto a transformas as vidas daqueles que confiam nEle. Quando a mulher tomou a decisão de tocar a orla do manto de Jesus, ela teve fé que seria curada, e realmente foi.

O comando de Jesus, "Vá em paz!" (Marcos 5:34; Lucas 8:48), significa literalmente "Vá em paz". Em outras palavras, Ele a está instruindo a ser grata pela cura do seu corpo e a desfrutar da paz que Ele veio transmitir a todos aqueles que nEle confiavam.

A restauração daqueles que creem em Jesus

A restauração de uma pessoa da situação de pecado para a saúde espiritual é semelhante à cura física dessa mulher. Do mesmo modo, os pecadores não podem comprar a cura para o seu pecado. Somente Jesus Cristo, por meio da Sua morte sacrificial, pode transformar a condição pecaminosa de uma pessoa e a restaurar de forma completa e eficaz. Assim como a cura da mulher é dada em resposta à sua fé, Deus também oferece graça aos que acreditam nEle.